sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Gabi

Gabi,
aquela que tenta alcançar as estrelas,
mas por vezes se contenta com o céu da boca,
deixando sua lua orbitar em qualquer planeta.
Fica imaginando e desenhando na cabeça,
a história perfeita pra desenrolar uma fita,
alguma loucura descabida,
mal cabida em suas próprias ideias,
e fica implorando pra que alguém a ouça chorando,
orando,
praguejando pelos cantos,
onde nem um deus
ou santo
pode realizar sonho.
Mas ela sabe disso.
Gabi carrega um oceano no peito,
e ele vive se derramando.
Vai meio que vazando,
deixando o pé esquerdo ir escorregando,
e ir se arrastando até o ponto final.
Demais ela recomeça.
Se recomeça.
Não enxerga que nem tudo é lindo.
Gabi é cega.
Mas nega.
Ela é tipo dessas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário