terça-feira, 30 de julho de 2013

Uma carta do futuro para o presente

"Eu havia acabado de apresentar uma peça. E eu já estava tão feliz por isso. Não imaginava que eu pudesse me sentir mais plena do que eu já estava. Apesar de saber que algo faltava, eu já me contentava com aquela sensação de algo faltando. Pensando bem, eu tinha esperanças. Eu tinha lindas esperanças de te ver ali. E depois daquela bela apresentação, o fato de eu saber que você estava ali e me assistiu e se emocionou da mesma maneira como eu me emocionei quando te vi, foi... Bem, posso jurar que naquele momento nos eramos infinitas, e foi mais do que isso, mais do que o próprio Charlie dizendo que se sentia infinito, nós éramos o universo inteiro ali. E éramos lindas.
Não sei se tu lembras, mas estava tocando aquela música, a melhor música de todas, se lembra? Sim, mas é claro que lembra! Era a Best song ever. A Best song ever para o Best moment ever. Parece até exagerado, piegas mas sei lá, foi legal. Nunca passou pela minha cabeça que o nosso primeiro encontro seria assim, tão fascinante. E poxa, você mora tão longe... Mas não se preocupe, eu vou te trazer aqui para perto. Ou melhor, nós vamos fugir para longe durante um tempo. Precisamos desse tempo. Mas por enquanto é só. Eu gostei de te ver, e gostei de você vir me ver. Foi legal e as coisas legais têm que se repetir para as pessoas legais.
Um beijo."

Para Lara, uma amiga distante.
Uma carta do futuro para o presente.
Isto ainda não aconteceu, mas já estou escrevendo agora, para quando acontecer eu não precisar escrever novamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário