segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Me deixa

Eu posso parecer louca,
solitrária ás vezes,
ou até mesmo libertina,
nas poucas vezes,
mas esse é apenas o meu modo de ver o mundo.
Me deixa,
me deixa ser assim,
do jeito que eu sou,
quieta,
indignada,
revoltada,
ultra romântica.
Me deixa,
estou um pouco de bobeira,
observando as ondas espumantes do mar azul lá ao longe.
Me deixa,
ser quieta.
Nem sempre estou triste,
nem sempre estou feliz,
mas sempre estarei bem.
Sempre estarei bem para aqueles.
Já falei,
o meu mundo consiste em desafios internos,
brigas descomunais
e travamento de guerras contra a sociedade,
portando apenas a minha poética,
como escudo,
defendendo os meus sentimentos de louco.
Meus sentimentos de louco,
depravado perdido na noite escura
que desenha sombras estranhas nas paredes,
quando a lua se perde na imensidão de mentiras da nossa vida.
Me deixa,
me deixa aqui refletir sobre a vida.
Me deixe aqui passar o meu ar intelectual,
enquanto muitos jugam a mim,
como apenas mais um ser triste nesta estrada amarga.
Me deixa,
me deixa aqui um pouco de bobeira,
a beira do mar,
o mar desta longa segunda-feira.
Simplesmente,
"Me deixa,
que hoje eu tô de bobeira. Bobeira."


Inspirado na música "Me deixa" do artista O Rappa.

2 comentários:

  1. É bom ver pessoas talentosas escrevendo. rs Bela inspiração. Eu não sou bom com criticas, construtivas ou não rsrs, mas posso dizer que senti o seu poema e gostei =)

    ResponderExcluir
  2. Eu agradeço muito a atenção. Estamos sempre aí para o que precisar. ^^

    ResponderExcluir