quarta-feira, 16 de março de 2011

-Um ponto de vista

Imagine quantos corpos eu já carreguei,
quantas vezes que por amigos chorei
e por quantas e tantas vezes eu vi corpos frios caírem ao meu lado sem eu poder fazer nada a não ser atirar.
Olhar o inimigo é incerto e perceber o quão perto está é preciso.
É digno de morte.
A msma morte que levou meus amigos,
que causou conflitos
e me fez ser cada vez mais humano.
É insano, mas eu tenho que fazer.
"Matar ou morrer"
e a morte acaba se tornando vulnerável,
pois sempre terá mais um para atirar.
Fazer o nosso dever,
o dever de matar,
exterminar o inimigo
e mostrar ao povo que matar não é tão simples.
A farda pesa,
e o baçal também.
A mídia aliena as cabeças podres,
enquanto uma parte de nós faz o trabalho limpo.
Enquanto "eles", sujos e rindo arrastam nossas crianças para o tráfico.
E são "eles" quem matamos, e são nós e vocês quem eles matam,
e mais uma vez eu repito:
"É matar ou morrer".
E enquanto muitos morrem, muitos matam.
e enquanto esta guerra pscológica não findar,
nosso dever não estará completamente feito.


[i]Poema inspirado no filme "Rota"
Conta mais ou menos o que sente um PM que perdeu amigos na profissão, que é confundido com PMs sujos, mílicia etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário