sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Um cantinho entre mulheres

Ás vezes, eu de tão boba penso
que eu bem que podia ficar a deriva nas horas de desespero
e que você podia me prender em seus braços para eu não me perder mais,
para eu não me preocupar mais
porque só por você eu aprendi o que é um amor
e hoje eu sei andar na chuva
sozinha ou acompanhada
com a blusa aberta
e calada.

Me prenda em seus braços...
E eu que pensei que sozinha não viveria nada
que a estrada sem você era mais gelada
mas eu vi que o céu sem estrelas também pode ser bonito,
assim como meus entrelaços sem você pode ser vivido.

Mas não falta nada para nós duas,
e eu que sonhei por tanto tempo
hoje grito para deixar elas falarem...
Deixem as meninas falarem,
elas também querem fantasiar em qualquer lugar
Assim como eu faço quando estou a naufragar.

Tudo pode ser como queremos,
se quisermos...
ou eu te levo para um cantinho
e calo as meninas desesperadas,
para termos o silêncio como a nossa principal arma
e então você me mostra o que é ser mulher...

Porque apesar de tudo eu ainda sou apenas uma menina
querendo falar
e fantasiar em qualquer lugar
e depois apagar tudo
para você não me soltar,
portanto,
me prenda em seus braços
e torne a me calar,
me calar naquele cantinho
com muitos apertos e mais um pouquinho...

E então eu volto a sonhar.

Um comentário:

  1. essa poesia me lembrou a música "she's the one" do Ramones,

    ___________

    haha,Gostei muito!

    ResponderExcluir