terça-feira, 29 de abril de 2014

Dessa sua loucura que eu tenho um pouco

Se tu soubesse o que eu acho dessa sua loucura descabida,
desprovida de qualquer ato falho,
retrato,
de alguma coisa que te faz bem,
e não lamente 
que aquilo lá esteja tão longe,
quando mesmo assim,
querendo e não querendo,
já faz parte de mim.
Porque tem sim,
tem sido uma coisa meio louca,
insana,
que vem assim do nada,
tira a roupa 
e já quer ficar.
Como quem sempre morou aqui 
e mesmo assim,
não quer se despedir 
e nem se despentear.
O mesmo que eu sinto aqui,
eu sei que tu sente de lá,
então se achegue mais pra cá,
porque de lá
eu já cansei, 
e de cá tem mais espaço,
relaxa,
que eu deixo tu encostar.
Mas me diz logo,
se posso ou não acreditar,
pois essas meias palavras me matam,
e caso eu não possa pousar,
vou pro lado de lá,
outro lugar.
Mas saiba,
que é aqui
que eu quero ficar,
mas se precisar ir lá te encontrar,
lá estarei,
sem hora,
nem tempo pra voltar.
De cá pra lá,
tua loucura há de me sustentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário