quinta-feira, 13 de março de 2014

História de pescador que sofre com dor de não-amor

Parecia sereia de mar alto mas amava por baixo. Por baixo dos panos, que era pra ninguém ver. E se visse, não haveria deus do céu que resistisse. 
E é assim que começa a história da Virgem Sereia do Santo Mar de Edviges.
Morrer por ser brega não aconteceria. Cegar a vizinha invejosa que adora santo de porta em porta, até pode ser. Mas quando não é pra acontecer, já era! Já aconteceu!
E olha que sereia nem esconde segredo. Seu rabo não deixa passar uma coisa se quer. Se abaixa pra pegar ilusão no chão, plaft!, já quebrou-se o vaso das razões e todas as mentiras vão nadando por terra mesmo até chegar em mar alto onde podem se esconder. Mas se esconder pra quê né?
E as sereias ficam lá, no topo! Contemplando o templo que as abriga até mesmo em noite de lua cheia e briga com as focas para ter um lugarzinho nas pedras. Foca de pedra dengosa, que chora e se isola depois de uma sereia cheirosa roubar-lhe o lugar. Mas quem pudera fazer-se acreditar que sereia de alto mar tem medo de bicho homem pescador se casar?
É que casamento é assim. Você se joga no mar e se embola na própria rede. Nem peixe pequeno consegue escapar. Mas se é pra casar, que seja de véu, grinalda, algumas baianas apimentadas e uma noite de luar.
Mamãe Ieamanjá chora a falta de uma jangada no mar. É noite de luto. Noite de casamento fora do mar.
Passagem pra vida estranha que esse povo da terra firme acha que sabe lidar. Mas nem pescador, nem sereia nem besta alguma se atreve a arriscar. Se perder sem bússola no mar? Quero não! Prefiro nadar que casar.
E sereia nada mesmo viu?!
Nada de dia e nada de noite.
Porque se fosse tudo seria uma bagunça.
Sereia contando história de amor é igual oceano no sol. Parece impossível! 
Mas sabe que as vezes acontece!
Já aconteceu até de sereia se apaixonar por mulher. Porque mulher com mulher é a junção de lua com lua. Imagina só a fartura das noite de lua cheia onde sereia vira rainha e mulher vira coroa de sereia. Mas deixa. Isso já é papo pra outro cortejo. Vou me indo nessa e quem sabe eu te vejo. 

Tu sabe, sereia de mar baixo tem medo de correnteza grande. Um mergulho pensando besteira e já se foi alma pescadora da virgem sereia. Na verdade amigo, sereia que é sereia não sabe falar de amor. É que pescador, que é pescador mesmo inventa história na beira do mar pra não se apaixonar por moça bonita que canta. E se sereia de fato canta, quem ela encanta? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário