sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Carta aberta a um cara meio legal

Mil loucos por ela e ela louca mil vezes por você.
Tenho a impressão que você precisa de um tapa na cara para balançar tudo o que tem em mente e finalmente ver o que está bem aí, na sua frente. Bem aí, na sua frente.
E ela se joga, se desdobra, fica sem saber o que falar e só sorri tentando fazer charme. E você nada. Só a abraça, quase como se prometesse que iria ficar tudo bem porque você estaria ali para abraçá-la sempre.
Mas sabemos que não é bem assim.
Primeiro que você é todo louco. Já parou para pensar que poderia dar certo, cara?
Você já se permitiu pensar nisso, ou ficou criando saídas na sua cabeça como se todo esse lance de relacionamentos fosse tão massante como um chiclete sem gosto grudado no dente quando sua boca já cansa de tanto mastigar algo sem gosto?
Só para e pensa nisso. Vai ver que eu tenho razão.
Ela está ali, fácil e leve.
É só você chegar e pronto. Ela está disponível. Mas é só pra você.
Por mais que ela devesse dar o telefone dela para todos os caras que a olham, ela não dá.
Ela não fica falando de outros caras para as amigas. E ainda se auto-censura quando começa a falar de você, porque se deixar ela vira a noite só falando sobre o quanto você é inteligente e interessante e intelectual e tantos ou "i". Acho que é válido eu dizer que ela adora as suas teorias. No fundo ela entende o que diz, mas finge não entender só para você ficar falando mais e mais. E ela fica quieta, sem saber o que falar e só sorri tentando fazer charme.
E isso significa tanto pra ela.
Ela simplesmente ama quando você fala do cabelo dela. Faz com que ela se sinta interessante e bonita. Para alguém que sofre diariamente com esses lances de beleza, é de extrema importância que alguém lhe aponte o dedo e diga: "Da hora seu cabelo assim". E é fácil perceber quando ela gostou, porque ela fica sem graça ou desconversa falando de alguma outra coisa que não tem ligação alguma com cabelo. E ela quer que você continue, que a mime, que a faça se sentir uma pessoa que não é indiferente. Que não apenas está ali, mas que "Caralho, ela estava ali e foi tão legal!". Você precisa demonstrar, meu caro. Ela não sabe ler mentes e nem é muito boa em supor coisas, então supondo que queira alguma coisa, vá e diga e mostre e tudo.
É o que ela quer. Pé na porta. Algo quase bruto, manja?
Ela não quer um namoro.
E eu sei que você também não.
Ela quer algo que seja mais do que simplesmente dizer estar namorando com alguém.
Você sabe que ela é diferente das outras meninas que você já se envolveu. Ela quer que se dane se os outros não vão gostar de alguma coisa.
Ela quer simplesmente que se dane.
Ela quer pé na porta e faca no queijo, meu amigo.
Ela quer que você ligue pra ela 3 horas da manhã e diga que não está conseguindo dormir e que fique falando sem parar nunca o que está pensando e o quão louco parece o mundo quando você simplesmente para virado de barriga pra cima no meio do escuro encarando o teto enquanto todos os outros da casa estão dormindo e sonhando e sei lá mais o quê e você apenas ali, existindo.
Ela quer que você mande pra ela um texto enorme pelo Facebook sobre uma teoria totalmente doida sobre algo totalmente sem noção, mas que você dedicou parte do seu dia só para filosofar sobre aquele algo.
Ela quer que você discuta com ela sobre o Universo.
Ela quer que você a ouça falando de mitologia e sobre como é foda Percy Jackson e de quão lixo é a adaptação para filmes dos livros.
Ela quer que você discorde dela quando ela fala que tudo é lindo. Porra, não é não, e ela sabe disso, mas ela quer que você discorde e debata com ela e depois a aperte como quem diz: "Ah, tá bom, agora cala a boca porque eu estou certo."
Ela quer que você permita que ela te convide para ir ao cinema e que vocês vão para realmente assistir ao filme, e depois que todos saírem da sala, vocês ainda continuaram lá, se olhando e sorrindo e com fome, discutindo mentalmente aonde vão comer.
Ela quer que você pegue um monte de flores debaixo daquela árvore e coloque tudo no cabelo dela, e diga: "Caralho... Aí sim, ficou show." e tire uma foto depois.
Ela quer que você revele essa foto e escreva alguma coisa atrás
Ela quer alguma coisa que fuja do normal porque ela já se considera normal demais.
Ela quer ter algo que seja meio porra louca.
Ela quer tudo isso e você nesse tudo isso.
É difícil, cara?
Não é, mas você complica.
Cria barreiras que nem você entende e acha que entende só porque conhece os domínios do pensamento.
Na boa, se libera.
Vai ter uma noite bem louca, tendo algo que você nunca teve e você sabe bem do que eu estou falando. Aliás, ela nunca teve também.
Mas chega uma hora, querido, que o querer já ultrapassa os limites no esperar.
Talvez ela não espere por você se você não avisar.
Aliás, ela já está tentando se desligar de você. Tetando seguir em frente já que você não demonstra nada.
Mas algo ainda a puxa pra você.
Deve ser algum tipo de carma, ou tesão. Eu opto pelo tesão.
Ela acha que é carma mesmo.
Só que os trens vão passando.
Pode ser que este passe também.
Ela está aí pra você.
Mas pode estar aí para outros caras também enquanto você não embarca no trem dela.
Você só precisa tomar o café de todos os dias e não pensar tanto em ter tudo resolvido.
Deixe as coisas complicarem por si só. Elas não precisam da sua ajuda.
Nem seja gentil com o inferno se torturando todas as madrugadas pensando besteira e destruindo cada esperança que te resta.
É só uma brincadeira de criança, menino.
Deixe ela te convidar pra roda, e siga a onda dela porque esse mar revolto não se rebela todo dia.
Te aconselho a fazer preces para Iemanjá.

2 comentários:

  1. Raramente percebemos o que está bem embaixo de nosso nariz...

    Gostei do seu cantinho, bacana mesmo!

    Se quiser passa lá no Celeiro ;)

    http://celeirodosloucos.blogspot.com.br/

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Nossa, parece que cada palavra saiu de mim. Me identifiquei bastante. Ótimo texto.

    ResponderExcluir