segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Eu não sou assim


Eu imaginei que fosse passar como uma brisa. Mas isto está mais para vendaval.
Eu preciso me agarrar a algum poste que esteja bem fixo no chão, se não eu saio voando.
Mas eu gosto dessa chuva que está la fora. Parece uma música bem calma e nostálgica. Mas vamos combinar que nostalgia é para pessoas infelizes. Gosto dela enquanto eu estou aqui dentro. Digamos que não é muito agradável ter que andar na chuva quando se está sem guarda-chuva. Apesar de que com guarda-chuva é um porre também.
Mas nem era disso que eu ia falar. Eu me distraio fácil. Começo falando de uma brisa e já termino em tempestade. Típico de mim. Vivo confundindo as coisas, sentimentos, pessoas, comidas, músicas, filmes, coisas.
Na verdade eu só queria que ela não gostasse mais de ninguém. Só de mim. 
Eu não preciso vê-la distribuindo amor e carinho para outros quando eu estou aqui, e sou a única que precisa disso dela.
E isso é triste. Eu estou presa a ela enquanto ela está solta em outros.
Normal.
Sempre fui assim.
A gente tem o costume de escolher pessoas que são paralelas aos nossos anseios. Parece lindo, soa simples, mas sempre complica. É costume. Ficar tentando explicar e entender demais as coisas que não devem ser explicadas ou entendidas. Pare com isso, querida!
Por mais que eu tenha paciência de te ouvir loucamente, e por mais que eu viaje na sua fala quando você começa a devanear, na boa... Nós não precisamos disso. Eu só preciso que você goste de mim só. Porque eu gosto só de você.
E não é egoísmo. Claro que não. Não é.
Eu não preciso vê-la sorrindo para os outros. Segurando nas mãos de outros. Só de mim. Porque eu só sorrio pra você e só seguro a sua mão.
É desgastante imaginar que talvez você me largue. 
Eu quero você para buscar comida quando eu estiver com fome. E buscar água quando eu estiver com sede. Porque você fica linda com raiva.
Mas não gosto que fique com raiva de mim.
E eu não sinto ciúmes. Claro que não. Imagina.

Sério. Eu sou leve, Voo fácil. E isso não é bom. Ao menos, não é bom sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário