segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Entre Vagalumes

Apenas por esta noite,
me deixe aqui sentada observando os trens correndo,
indo para algum lugar distante,
para lugar nenhum.
Me deixe ver os vaga-lumes que iluminam a noite,
como se fossem estrelas,
como se tudo fosse acabar
pela falta de um sorriso.
Estranhos me olham,
e eu só os vejo como sombras esta noite,
mesmo querendo ir tocá-los,
eu não vou.
Me deixe aqui sentada na porta deste hotel barato,
conversando com os buracos da parede,
e vendo os meus sonhos passando pelos meus olhos atráves das janelas do trem.
Corações partidos me contam suas decepções,
e eu sei que há vezes em que ganhamos,
já outras que perdemos,
mas ainda vemos sombras esta noite,
vemos os vaga-lumes iluminarem o túnel dos loucos.
Me deixe aqui na paranóia,
loucura de nunca parar de acreditar,
que junto com o sol,
os meus sonhos vão retornar,
no próximo trem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário