sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Enganos de Carnaval

Em uma madrugada dessas eu andei pensando em certas coisas,
detalhes que passaram despercebidos
e recados que não foram recebidos,
mas hoje eu me encontro em meio a um carnaval
mas logo vem a quarta feira de cinzas,
e daí tudo estará acabado.

Observando o nascer do sol a beira mar,
lembrei da nossa primeira vez juntas,
me recordei também de você me dizendo que sempre estaria lá...
Que sempre faria parte das minhas fantasias

Mas foi como eu já previa,
as festas passaram...
mas eu, hoje, penso no que você me mostrava
Sim, e eu acreditava

Acreditei por uma noite longa
que você morava em um arranhacéu,
e depois desta, vieram outras longas noites frias e desertas
silênciosas até...
Mas eu olhava e olhava para o céu
e não a via.

As fantasias passaram e mudaram as batidas do meu coração,
mas hoje eu aprendi a ser mais fria,
pois passei muito tempo sozinha durante as mesmas noites frias,
e levantei pela manhã sem nada, sem um puto, sem noção... Realmente sem nada.

E até hoje eu espero,
que em outros carnavais nós possamos nos encontrar novamente
e trocar olhares durante a aurora fria até o raiar total do dia,
mas enquanto isso eu fico aqui
sozinha a beira mar,
lembrando das palavras que me dizia
sobre me esquentar nas noites frias e mudar o gosto amargo do fel
além de me fazer perder o medo de te ver despencar,
cair do último andar e te reencontrar na beira do mas alto arranhacéu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário