domingo, 9 de janeiro de 2011

'' [...]Seria mais que insano eu dizer que me sinto na boca do leão, como um cordeiro inocente, mas de inocente eu não tenho nada. E o leão é só força de expressão...
Mas uma coisa é certa... Não estamos sozinhos, pois os espaços aparentemente vazios, sem nada, são apenas lacunas, buracos que não vemos e o que sentimos, são fases vivas de uma louca tempestade. Tempestade que demora a beça a passar, e quando se esvai deixa ruínas de sentidos mortos ou a luz de esperanças. Sejam elas esperanças falsas ou a mera loucura de crer no impossível. ''

Nenhum comentário:

Postar um comentário