quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Vendavais

Muitos vendavais,florais
levaram lembranças das quais me guardo,foram épocas que eu via o por-do-sol do quarto
foram épocas em que eu tinha carnavais.Banais.
Mas tudo passou com a ventania,
Meu-bem-querer,eu queria!
Mas já nem quaro mais...
Nos olhos eu vejo,a estrada íngreme na qual caminhei
O sol ardente me acompanhava
Me oferecia azas,então eu voei...
No caminho do paraíso,lembrei de ti e todo o vazio no qual voava,
Fizeste tal coisa por mim?
Pois bem,eu sonhava,eu sonhava...
Peguei uma flor e repousei-me no chão
A vista era linda,minhas mãos tocavam as suas mãos.Imensidão.
Por um instante pensei:''Irei voar''
Mas na verdade eu quero sonhar
sonhar ao teu lado e voar entre os sete céus,e sentir teus ares
naufragar no teu colo perante os sete mares!
Sentir o sereno tocar meu cabelo,e cantarolar ao vento
Por que eu sei que fará de mim de novo criança.Lembrança.Mulher!
Reflito na flor e em cada pétala arrancada,
velha estrada,
na qual caminhei e cansei
Andarei mais mil milhas,se puder
enquanto isso eu continuo contando:
-Bem-me-quer?
-Mal-me-quer?



Ana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário